Livro Os 100 Trials Que Mudaram a História da Oncologia
Destaque Lançamento

Livro Os 100 Trials Que Mudaram a História da Oncologia

Estoque: 3 Marca: EDITORA DOS EDITORES Modelo:LIVRODisponibilidade: Imediata Referência: 9786586098273


Por:
R$ 297,00

R$ 282,15 à vista com desconto Boleto - Yapay
ou 12x de R$ 30,66 com juros
/ 3
Simulador de Frete
- Calcular frete

Livro Os 100 Trials Que Mudaram a História da Oncologia

Múltiplos fatores contribuem para a complexidade da prevenção e do tratamento em Oncologia. Uma pergunta frequente e, muitas vezes, geradora de angústia para pacientes e médicos é: “Qual o melhor tratamento para o meu tumor?”. Na tomada de decisão e planejamento terapêutico são muitas as variáveis a serem consideradas.

Nesse cenário, a aplicação de dados advindos da melhor evidência disponível na literatura médica é absolutamente necessária e recomendável. O aumento expressivo da eficácia do tratamento oncológico ocorreu justamente graças a avanços nas áreas de prevenção, ao diagnóstico precoce e à integração entre modalidades terapêuticas locais e sistêmicas. Nos primórdios, a base da evolução da Oncologia da Medicina como um todo foram a observação e a experimentação empírica pouco estruturada, em sequências de tentativas, erros e acertos, que paulatinamente modificaram a prática. O final do século XIX testemunhou importantes avanços científicos na permanente luta da humanidade contra o câncer. Até então, o tratamento da doença se baseava em cirurgias mutilantes. Além do aperfeiçoamento das técnicas cirúrgicas, ocorreu desde então o desenvolvimento de outras modalidades de tratamento.
A possibilidade de se utilizar a radiação como modalidade terapêutica foi inaugurada pelos experimentos de Wilhelm Roentgen, que, em 1895, descobriu que os raios X podiam passar através de materiais impenetráveis à luz. Nos anos seguintes, o avanço nos conhecimentos na área impulsionados pelos trabalhos de Marie Curie e Pierre Curie levaram ao desenvolvimento da radioterapia por feixe externo, amplamente utilizada nos dias atuais. No mesmo período, em 1896, Thomas Beatson publicou um relato de três casos sugerindo que a remoção cirúrgica dos ovários poderia controlar o câncer de mama avançado, fundando as bases da hormonioterapia.
Já o desenvolvimento da quimioterapia contra o câncer foi diretamente impulsionado pelas guerras mundiais. Em 1917, o gás mostarda foi utilizado pelo exército germânico pela primeira vez, na famosa batalha de Ypres. Mas foi apenas em meados de 1940 que Louis Goodman e Alfred Gilman modificaram a estrutura do gás, desenvolvendo a mostarda nitrogenada. Pouco tempo depois, Steward Alexander detectou importante mielossupressão nos sobreviventes da explosão do SS John Harvey, um navio de guerra carregado com gás mostarda. A partir dessa observação, 8 Goodman e Gilman, em conjunto com Gustaf Lindskog, puderam demonstrar pela primeira vez o efeito antitumoral da mostarda nitrogenada em pacientes com linfomas em 1946.
Cabe ressaltar, ainda, o papel pioneiro de Sydney Farber no desenvolvimento dos análogos de folato. A partir da observação de que o uso de ácido fólico levava ao agravamento do quadro de pacientes com neoplasias hematológicas, Farber desenvolveu o racional para que, em 1948, fosse demonstrado que o uso de agentes antifolato poderia induzir remissão em pacientes com leucemias linfoides agudas. O impacto revolucionário dessas terapias para doenças desprovidas, até então, de tratamentos eficazes impulsionou as pesquisas que levaram ao desenvolvimento das diversas classes de agentes quimioterápicos nos anos seguintes.

Mais recentemente, os conhecimentos adquiridos a partir da caracterização molecular das neoplasias permitiram novas descobertas, inaugurando uma nova era na oncologia ao permitir a personalização dos tratamentos oncológicos. As terapias alvo, voltadas a alterações moleculares específicas de cada tumor, e a imunoterapia, que atua bloqueando mecanismos tumorais de evasão ao sistema imune, têm possibilitado aumentar o controle em longo prazo de diversas neoplasias, inclusive com aumento das chances de cura.
Nesta primeira edição do livro OS 100 TRIALS QUE MUDARAM A HISTÓRIA DA ONCOLOGIA, procuramos reunir estudos clínicos que modificaram a prática de alguma forma, que alteraram o paradigma do seu tempo e/ou que fizeram maior diferença diretamente na vida dos pacientes com câncer. Devemos, entretanto, ressaltar que esta não é uma lista exclusiva muito mais estudos mudaram a história da Oncologia, talvez incontáveis. A bem da verdade, atualmente a Oncologia tem se modificado em tempo real, com novos estudos publicados constantemente.

Como profissionais de saúde, cientistas, pacientes ou familiares e amigos de pacientes, não podemos deixar de externar nossa gratidão a todos os sujeitos de pesquisa incluídos nesses estudos e por todo o esforço global na pesquisa em Oncologia, beneficiando milhões de pessoas por todo o mundo.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Características


  • Encadernação: Capa dura
  • Data de publicação: Data de publicação 2021